Blog Segundo o Coração de Deus: Textos, poesias, imagens, filmes...

"Portanto, quer comais, quer bebais ou façais qualquer outra coisa, fazei tudo para glória de Deus" (1 coríntios 10:31).

Leia mais sobre a origem do nome desse blog
Sugestões enviar para: poetisa85@yahoo.com.br
Recados: deixem no mural ao lado.
Que as postagens aqui possam abençoar sua vida!

15 de dezembro de 2011

MISHA E JESUS

 Traduzido por Dennis Downing




Em 1994 dois Americanos foram convidados pelo Departamento de Educação da Rússia a ensinarem ética e moralidade (baseado em princípios da Bíblia) em instituições públicas. Em plena época de Natal, num orfanato eles encontraram 100 meninos e meninas que haviam sido abandonados ou abusados pelos parentes ou responsáveis. Os homens contaram a seguinte história:

"Foi no final do ano e na época para as crianças ouvirem a mensagem tradicional de Natal. Contamos para eles sobre Maria e José chegando em Belém. Não achando lugar na hospedaria eles foram ao estábulo onde Jesus foi colocado numa manjedoura.

Durante a história as crianças ficaram maravilhadas. Ficaram ligadas em cada detalhe. Terminamos a história e demos às crianças pedaços de papelão e tecido para cada uma fazer uma manjedoura. Eu comecei a olhar os trabalhos delas e cheguei à mesa do pequeno Misha. Ele tinha 6 anos e já tinha terminado seu projeto. Quando olhei para a manjedoura dele eu vi não um, mas dois nenês deitados.

Eu chamei o tradutor e perguntei porque havia dois nenês na manjedoura. Cruzando seus braços, e olhando a sua manjedoura Misha começou a repetir a história. Por uma criança tão pequena, que ouviu a história pela primeira vez, ele contou tudo muito bem, até que chegou à parte onde Maria deitou o bebê Jesus na manjedoura.

Daí ele começou a acrescentar alguns detalhes. Ele disse "Quando Maria deitou o neném na manjedoura, Jesus olhou para mim e me perguntou se eu tinha um lugar para ficar. Eu disse a ele 'eu não tenho papai ou mamãe, então não tenho onde ficar'.

Daí, Jesus disse que eu poderia ficar com ele. Mas, eu disse a ele que eu não poderia porque eu não tinha um presente para ele como todos os outros. Mas, eu queria ficar tanto com Jesus. Então eu tentei pensar em alguma coisa que eu poderia dar a ele como presente.

Eu pensei que se eu pudesse aquecê-lo que isto poderia ser um presente. Então, eu perguntei a Jesus 'Se eu posso aquecer você, isto serviria para um presente?'

E Jesus me disse 'Se você me aquecer, isto vai ser o melhor presente que alguém jamais me deu.' Então eu deitei na manjedoura e Jesus olhou para mim e ele me disse que eu poderia ficar com ele - para sempre."

Quando o pequeno Misha terminou sua história, seus olhos estavam cheios de lágrimas. Ele deitou sua cabeça na mesa e chorou. O pequeno órfão havia encontrado alguém que nunca abandonaria ele ou abusaria ele, alguém que ficaria com ele - para sempre.
Fonte: Iluminalma

8 de dezembro de 2011

Deus e Sexo

"Se você já se entregou a alguém e teve seu coração partido, você sabe como Deus se sente. A cruz é o modo de Deus dizer: Eu também, sei como é."

"Sexo não é a procura de algo que esteja faltando, é a expressão de algo que foi encontrado."
 (ROB BELL)

Passeando pelo Facebook encontrei este post: Deus e Sexo da Tate, para alguns duas palavras que em nada ligação, a não ser a ligação de sexo a pecado. Pois, Tate em seu blog Fath: a certeza do Real! Reflete de maneira belíssima maneira. Leia mais

6 de dezembro de 2011

Vida em Cristo

SE VOCÊ É REAL
  de T. Suzanne Eller


[Entrando em época de férias escolares e o possível aumento sazonal
de tensões entre pais e filhos, re-postamos esta reflexão de seis anos atrás. Talvéz seja útil, tanto para pais, como para filhos adolescentes. Deus os abençoem.]

A pequena igreja estava lotada. Ao meu redor pessoas adoravam um deus que eu não acreditava que existisse. Por que eu estava lá? Meu
vizinho me pediu que viesse. Para ser honesta, eu pensei que eles só
me deixariam em paz se o eu fizesse.

Eu não sabia o que esperar. Eu havia ido aos cultos algumas vezes com minha família, mas era mais um ritual ou um jeito de celebrar
feriados. O que eu não esperava era sentir meus olhos molhados quando eu os fechei.

Meu lema? Nunca deixe alguém lhe ver chorando. Eu não estava a ponto de descompensar na frente de pessoas que não conhecia. Eu não estava chorando porque eu senti a presença de Deus ou o amor dele por mim.
Eu lutei contra as lágrimas porque eu estava revoltada, tão furiosa que eu tremia dentro de mim. Como podia o pastor ficar em pé e falar
sobre o amor de Deus? Era muito fácil para ele e pessoas parecidas
com ele proclamar um Deus que existia, que tinha um propósito para
cada um. Talvez o Deus deles tinha se interessado pessoalmente por
eles, mas ele não vivia na minha casa.

A mãe que eu estou a ponto de compartilhar com você não é a mãe que eu tenho hoje. Ela teve um encontro com Deus, e ele a tirou da
escuridão de dor emocional e a curou. Para compartilhar minha
história, eu tenho que compartilhar um pouco da história dela também.

Minha mãe saiu de casa aos 16 anos, grávida e recentemente casada com um menino que pensava que era um homem. Ela perdeu o primeiro bebê devido a fibrose cística quando a criança tinha menos de dois anos.
Ela teve o segundo filho aos 18 e deixou o marido dela aos 21. Ele
veio visitá-la uma noite e a forçou a ter relações sexuais. Ela descobriu duas semanas depois que ficara grávida.

Eu era aquele bebê.

Mamãe se casou com um homem bom que amou a ela e aos seus dois filhos que vieram como parte do “pacote”. Mas apesar destes eventos, minha mãe era frágil. Como um vitral de vidro colorido, ela era bonita no lado de fora, mas os pedaços quebrados da vida dela criaram o
retrato.

Crescendo, eu nunca soube o que esperar. Seria a mãe que trouxe para casa pirulitos para nos presentear de surpresa, ou a mulher que
gritava coisas horrorosas enquanto corria para a rua ameaçando se
matar? Havia abuso físico e pedidos de desculpas. Havia castigos
humilhantes, palavras severas, e pedidos chorosos de perdão.

Por favor, não me entenda mal. Nem sempre era ruim em minha casa, mas quando era, era barulhento e caótico e amedrontador. Eu temi que um dia que minha mãe apertaria o gatilho ou se feriria. Eu odiava as palavras que saíam da boca dela quando ela estava irada.

Um dia minha mãe me perseguiu pela casa, enquanto me ameaçava com um guarda-chuva, gritando comigo. Eu corri para fora e fui para a chuva.
Eu estava usando uma camiseta, calça jeans e estava descalça. A chuva fria me castigava enquanto eu corria pela Rua Latimer. Eu me esforcei contra a torrente, batendo meus braços e correndo quão rápido quanto eu pude. Finalmente eu parei, me baixando para conseguir respirar enquanto minhas lágrimas se misturavam com os pingos de chuva.
Lentamente eu me virei e caminhei para casa, sentei no meio-fio, e
chorei até que minha garganta se fechou.

Eu estava presa. Eu não podia fugir. Eu não tinha nenhum dinheiro,
nenhum lugar para ir. Eu tinha 13 anos. Onde eu poderia ir?

Eu comecei a fumar no ponto de ônibus, testar os limites dos meus
professores, e beber com meu melhor amigo. Minhas tentativas de dar
uma de dura devem ter aparecido hilárias aos outros. Eu era magra até dizer basta e parecia mais jovem que minha idade. Minha dureza não vinha com naturalidade. Meu coração era meigo e eu detestava conflitos e brigas. Contudo, toda vez que eu baixava minhas defesas, alguém me machucava.

Palavras bravas, afiadas e pontudas, uma faca em minha alma.

Foi aí que a dureza entrou em mim. Nunca os deixe lhe ver chorar.
Nunca lhes dê uma chance de saber que você se importa.

Um dia foi a gota d’água. Minha mãe nos botou ao redor dela no
quarto. Ela pôs uma pistola à cabeça dela e ameaçou atirar em si. Eu
estava assustada. Não porque eu pensei que ela morreria, e sim porque debaixo de minha respiração eu sussurrei, "faça logo."

Quem era esta pessoa que eu estava me tornando?

Dois anos mais tarde eu estava em pé na pequena igreja. O pastor
cantava, tocando o violão, enquanto pessoas se ajoelhavam diante do
altar. “Ele lhe ama”, ele disse. “Ele tem um plano para sua vida.”

Claro, sem dúvida. Eu apontei meu queixo para o céu, meus olhos
fechados, e eu desafiei este Deus do qual ele falou. “Se você é real”, eu sussurrei, "e eu não acredito que você é, mas se você existe, e você me conhece, e você me ama como ele disse, eu preciso saber."

Eu não esperava nada, todavia eu recebi tudo quando um toque tenro se estendeu além do meu coração endurecido. Eu tenho tido dificuldade em explicar aquele momento às pessoas com o passar dos anos. “Você viu Deus?” Não. “Você sentiu a presença de Deus?” Sim, mas tão sutil e profunda dentro de mim, tocando áreas que eu tinha fechado havia tanto tempo a qualquer pessoa, que eu sabia que era Deus.

Lágrimas correram e fluíram pelas minhas bochechas, e pela primeira
vez em muito tempo eu chorei. Eu senti como se Ele tivesse me
envolvido numa manta aquecida, me abraçando no Seu amor. Eu cambaleie da igreja. Eu corri para casa e contei para minha mãe que eu havia acabado de ser “salva”, entretanto eu realmente não entendia o que tinha acontecido.

Tudo mudou milagrosamente? Não. Minhas circunstâncias ainda eram as mesmas, mas tudo era diferente dentro de mim.

Eu cometi erros, enormes besteiras enquanto tentava aprender o que
era seguir a Jesus como meu Salvador. Eu não era perfeita, mas eu
entendi o amor dele. Eu entendia que eu queria saber mais. As pessoas daquela pequena igreja ministraram a mim de maneiras que eles nunca saberão. Houve vezes em que eu chorei diante do altar e daí fui para o caos da minha casa. Houve vezes em que eu tropecei em meu caminhar com Cristo e o encorajamento sensível deles me ajudou a continuar andando.

É impressionante o que pode acontecer quando Deus restaura uma vida quebrada. Pode ser lindo como o retrato da minha mãe agora, os
pedaços quebrados da vida dela reunidos num quadro bonito da
misericórdia de Deus.

Hoje eu sou uma mãe, autora, palestrante, e esposa. Eu tenho a
oportunidade de ministrar a adolescentes e mulheres por toda a nação, compartilhando a história de minha vida e a beleza de propósito, e o fato que Deus nos amou desde o princípio. Minha mãe e meu pai foram salvos quando eu estava no meu terceiro ano de escola secundária. Eu achei um bilhete do meu pai debaixo de meu travesseiro um dia. Eu ainda o carrego comigo. Os pedaços esfarrapados são uma lembrança do que Deus fez. Meu pai quieto que muito raramente compartilhou a profundidade das emoções dele, disse naquela carta, "Eu tenho lhe observado, e eu sei que você tem algo que é de grande valor, um tesouro. Eu sei que é real e eu lhe admiro por sua fé e seu amor por Deus."

Nós nunca falamos daquele bilhete, mas eu o recebi numa época quando eu orei por um sinal. “Deus, mostre para mim que você ouve minhas orações. Cure minha família. Mostre-me que você está escutando.” O pedaço dobrado de papel debaixo de meu travesseiro foi enviado do céu e tinha valor inestimável.

Há anos eu e minha mãe somos grandes amigas. Ela é compassiva,
amável, e íntegra, e as recordações de nosso passado foram perdoadas e esquecidas.

Hoje eu ainda estou correndo atrás do mesmo Deus que tocou minha vida quando eu tinha 15 anos. Eu sempre conto para meu público de
adolescentes que um dia eu serei uma mulher velhinha correndo atrás
de Deus com minha bengala. Você vê, ele tem feito um milhão de coisas por mim. Ele tem me acompanhado por tempos difíceis, mas meu amor por ele sempre estará ligado àquele primeiro momento quando ele buscou e alcançou uma revoltada, dolorida, e magra jovem de 15 anos, e silenciosamente sussurrou que ele me amava.

E eu ainda não consigo deixar de sussurrar de volta, “Eu também te
amo”.
Fonte: ILUMINALMA

1 de dezembro de 2011

Devocional

"Aqueles que são sábios reluzirão como o fulgor do céu, e aqueles que conduzem muitos à justiça serão como as estrelas, para todo o sempre".(Daniel 12:3)

PENSAMENTO:
  Deus prometeu uma “peneirada” entre os justos e injustos. Jesus repetiu a mesma segurança nas suas parábolas. Para o povo de Deus,no entanto, não são advertências cheias de temor. Invés disso,estas são palavras de promessa. Aqueles que têm honrado e vivido por Deus brilharão para todos verem. Aqueles que levam outros a viverem justamente brilharão como estrelas aos olhos do Pai!

ORAÇÃO:
 Amoroso Deus, obrigado por me salvar pela sua graça e bondade.
Ao mesmo tempo, Pai, fico frustrado quando vejo os injustos
prosperarem enquanto seus servos fiéis são ridicularizado por causa
do seu caráter. Estou grato que o Senhor nos julgará baseado na sua
incrível graça! Também estou grato que o Senhor fará justiça por
aqueles que Te amam e estão perseverando durante dificuldades,
perigo e críticas por causa da sua fé. Por favor, esteja com eles,
onde for que estejam, e dá-lhes a força para perseverar até aquele
dia vier. Em nome de Jesus eu oro. Amém.
Fonte: ILUMINALMA

18 de novembro de 2011

A "parábola" do taxista

"Por isso, nessas novas igrejas, não há como ser um evangélico não praticante. É possível, como o taxista exemplifica muito bem, pular de uma para outra, como um consumidor diante de vitrines que tentam seduzi-lo a entrar na loja pelo brilho de suas ofertas."
Leia mais

11 de novembro de 2011

Devocional: encontrar a vida


"O homem que encontra a vida, a encontrará 
por meio da confiança em Deus".
Gálatas 3:19 (Bíblia Viva)
Fonte imagem: Maluco por Jesus

27 de outubro de 2011

Pergunta Para a Beira do Desfiladeiro


de Max Lucado

"Como passou a noite?" perguntou a enfermeira.

Os olhos cansados do jovem responderam a pergunta antes que seus lábios o fizessem. Ela fora longa e difícil. As vigílias sempre são. Mas ainda mais quando passadas com seu próprio pai.

"Ele não acordou."

O filho sentou-se junto ao leito e pegou na mão ossuda que tantas vezes segurara a sua. Ele tinha medo de largá-la por temer que fazendo isso o homem que amava tanto pudesse passar para o outro lado. Ele a segurou a noite inteira enquanto os dois ficavam à beira do desfiladeiro, cientes de que o passo final estava apenas algumas horas à sua frente.

Com palavras pintadas de preto por causa de sua perplexidade, ele resumiu os temores que o haviam acompanhado na escuridão. "Sei que tem de acontecer", disse o filho, olhando para o rosto acinzentado do pai: "só não sei a razão,"

O desfiladeiro da morte.
É um lugar desolado. O chão seco está gretado e sem vida. Um sol ardente aquece o vento que ruge sinistramente e atormenta sem piedade. As lágrimas queimam e as palavras saem vagarosamente, à medida que os visitantes do desfiladeiro são forçados a olhar para o barranco. O fundo da rachadura é invisível, o outro lado inacessível. Não se pode deixar de imaginar o que está escondido nas trevas. E você não pode senão querer ir embora.

Você já esteve ali? Já foi chamado para ficar junto à linha fina que separa os vivos dos mortos? Já ficou acordado à noite ouvindo o ruído das máquinas bombeando ar para dentro e para fora dos seus pulmões? Já observou a doença corroendo e atrofiando o corpo de um amigo? Já permaneceu no cemitério muito tempo depois que os outros partiram, olhando incrédulo o caixão que contém o corpo que continha a alma de alguém que não pode acreditar que se foi?

Caso positivo, este desfiladeiro não é então desconhecido para você. Já ouviu o assobio solitário dos ventos. Já ouviu as perguntas penosas "Por quê?" "Com que propósito?" ricochetearem sem resposta pelas paredes do desfiladeiro. Você desprendeu e atirou pedras da beirada, ficando à espera do som delas caírem lá embaixo, o qual nunca chega.

O jovem pai esmagou o cigarro no cinzeiro de plástico. Ele estava sozinho na sala de espera do hospital. Quanto tempo vai levar? Tudo aconteceu tão depressa! Primeiro vieram as notícias do hospital, depois a corrida desesperada para a sala de emergência e a seguir a explicação da enfermeira. "Seu filho foi atropelado por um carro. Ele tem alguns ferimentos graves na cabeça. Está na sala de cirurgia. Os médicos estão fazendo todo o possível"

Outro cigarro. "Meu Deus." As palavras do pai eram quase audíveis. "Ele só tem cinco anos."

O fato de ficar à beira do desfiladeiro coloca toda a nossa vida em perspectiva. O que importa e o que não importa é facilmente distinguível. Na beirada do desfiladeiro ninguém se preocupa com salários ou posições. Ninguém pergunta que carro você dirige ou em que bairro você mora. A medida que os humanos que envelhecem ficam junto a esse abismo eterno, todos os jogos e disfarces da vida parecem tristemente tolos.

Tudo aconteceu num instante terrível.

"Onde está a nave?" gritou um engenheiro espacial no Cabo Canaveral.

"Oh, meu Deus!" exclamou um professor que apreciava o espetáculo. "Não permita que aconteça o que eu penso que acabou de acontecer"

A confusão e o horror tomaram conta da nação enquanto nos achávamos à beira do desfiladeiro observando sete de nossos melhores astronautas se desintegrarem diante de nossos olhos quando a nave explodiu numa bola de fogo branca e alaranjada.

Mais uma vez fomos lembrados de que mesmo o melhor da nossa tecnologia continuava sendo tremendamente frágil.

É possível que eu esteja me dirigindo a alguém que se ache na beira do desfiladeiro. Alguém que você amava muito foi chamado para o desconhecido e você está só. Só com seus temores e dúvidas. Se for este o caso, por favor leia o restante do livro cuidadosamente. Observe detalhadamente a cena descrita em João 11.
Continue lendo

20 de outubro de 2011

Devocional

VERSÍCULO:
 "Desta forma sabemos que estamos nele: aquele que afirma que permanece nele, deve andar como ele andou".(1 João 2:5-6)


PENSAMENTO:
 Você quer saber quem anda com Jesus cada dia? Procure as pessoas cujas vidas parecem com a vida dele! Quer andar com Jesus? Olhe a vida dele nos Evangelhos (Mateus, Marcos, Lucas e João). Veja como Ele tratava as pessoas; e depois faça o mesmo! Note como ele derrotou Satanás e superou a tentação.Confie que você pode fazer o mesmo! Ao fazer estas coisas, você descobrirá que Jesus não está apenas andando com você; ele está trabalhando através de você também!

ORAÇÃO:
 Sussurre no meu espírito, Ó Deus, e capacite-me com seu Espírito para viver uma vida de integridade e pureza como Jesus viveu. Por favor, dê-me um coração para servir pessoas, querido Pai, como Seu Filho tem. Ajude-me a enxergar não apenas as necessidades dos outros e ouvir seus clamores, mas também a reagir com amor e compaixão. No nome do meu Salvador Jesus eu oro. Amém.

Quizá -Jesus Adrian Romero

'Campanhas' de Fé

JESUS JÁ ESTEVE LÁ



de Dennis Downing


A seguir Jesus saiu dos arredores de Tiro e atravessou Sidom, até o mar da Galiléia e a região de Decápolis. Ali algumas pessoas lhe trouxeram um homem que era surdo e mal podia falar, suplicando que lhe impusesse as mãos. Depois de levá-lo à parte, longe da multidão, Jesus colocou os dedos nos ouvidos dele. Em seguida, cuspiu e tocou na língua do homem. Então voltou os olhos para o céu e, com um profundo suspiro, disse-lhe: “Efatá!”, que significa “abra-se!” Com isso, os ouvidos do homem se abriram, sua língua ficou livre e ele começou a falar corretamente. Jesus ordenou-lhes que não o contassem a ninguém. Contudo, quanto mais ele os proibia, mais eles falavam. O povo ficava simplesmente maravilhado e dizia: “Ele faz tudo muito bem. Faz até o surdo ouvir e o mudo falar”. Marcos 7:31-37

Diferente do ministério de Jesus, hoje às vezes parece que os milagres só são realizados para milhões assistirem. A rosa ungida, o pano sagrado, a camisa em nó. De quantos desses amuletos Jesus precisou para curar o surdo-mudo? Quantas testemunhas ele queria para confirmar seu poder?

Com uma só palavra e "longe da multidão" Jesus curou o homem. Se as "curas" que assistimos na televisão são realmente pelo poder de Jesus, por que não fazem como Jesus e levam onde os doentes estão? Por que não vão para os corredores dos hospitais públicos super-lotados, para a ala dos pacientes terminais no hospital do câncer? Será que lá não há fé o suficiente para curar? Vai dizer para a mãe assistindo seu filho de sete anos sendo consumido por leucemia que Deus não pode ajudar por causa da falta de fé dela?

Jesus faz milagres hoje. Ele ainda cura. E aqueles que realmente crêem nEle são ouvidos, ainda que a cura às vezes não venha. Surdo é aquele que pensa que o preço do amor de Deus é medido em ofertas ou manipulado por talismãs. Jesus está falando, mas poucos estão ouvindo. O volume das vozes dos "profetas modernos" é ensurdecedor. Olhe para Jesus. Leia o que os lábios dele estão dizendo. "Efatá!" Ele está dizendo "Eu te amo". Ainda que você tenha que andar por todo o vale da sombra da morte, ele estará contigo. Ela vai junto. Ele já esteve lá. Ele foi por você.

Oremos: Bendito Deus e Pai, obrigado por um Senhor que não cobra nada, que não precisa de nada de nós. Obrigado porque ele nos ama tanto, que deu sua vida, sabendo que poderíamos nunca acreditar nele, nem agradecer pelo seu sacrifício. Isso é amor, Pai! Ninguém tem maior amor por nós do que Jesus. Que possamos dar ouvidos a Ele todos os dias desta vida e confiar no amor dEle. É só isso que precisamos e mais nada. Em nome de Jesus oramos e agradecemos. Amém.

Fonte: ILUMINALMA

19 de outubro de 2011

Um desafio...

VERSÍCULO:
“Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Administrem a verdadeira justiça, mostrem misericórdia e compaixão uns para com os outros.Não oprimam a viúva e o órfão, nem o estrangeiro e o necessitado.Nem tramem maldades uns contra os outros”.
Zacarias 7:9-10

PENSAMENTO:
Você quer uma palavra clara e direta do Senhor hoje? Zacarias nos dá isso. Ele nos lembra que Deus quer que sejamos justos,compassivos, sem preconceitos e sensíveis àqueles que têm necessidades, e que consideremos uns aos outros inocentes. Em outras palavras, ele quer que tratemos uns aos outros como Cristo tratava as pessoas. Por quê? Porque não podemos estar bem com Deus se não estamos bem com as outras pessoas!
Parece fácil, mas tente com quem você não gosta!

7 de outubro de 2011

Reflexão




"Senhor, não quero que os meus olhos percam o brilho do primeiro amor..."
Primeira essência - Anderson Freitas

Quantas vezes tudo parece perder o brilho?

16 de setembro de 2011

João 5:30

Por mim mesmo, nada posso fazer; eu julgo apenas conforme ouço, e o meu julgamento é justo, pois não procuro agradar a mim mesmo, mas àquele que me enviou.(João 5:30)

PENSAMENTO:
  “Então, quem você está tentando agradar?” Estas palavras do meu
pai ainda ressoam nos meus ouvidos. O ponto? Há somente dois que
TEMOS que agradar: (1) nosso Pai no céu, porque devemos todo louvor e honra a Ele, e (2) nós mesmos, porque queremos assegurar que fizemos o melhor possível e fomos o melhor que podíamos ser. Mas, eu aprendi com o passar dos anos que não consigo fazer o segundo muito bem sem antes procurar fazer o primeiro. Você não espera que um dia possa chegar ao ponto de, com Jesus, dizer com absoluta certeza: “Não procuro agradar a mim, mas aquele que me enviou!”?
Quanto mais nos aproximamos daquela realidade, mais percebemos que não podemos fazer nada de importância eterna sozinhos. Somente
quando vivemos para honrar Deus é que achamos o significado e o
impacto que nossas vidas deveriam ter.

ORAÇÃO:
Todo Poderoso e Justo Pai, eu sei que sem o Senhor não consigo
fazer nada que importa. Tenho tentado sozinho e fracassado. Tenho
procurado meu próprio bem e visto meu sucesso efêmero. Eu quero
viver agora, hoje e o resto da minha vida para Lhe agradar. Ao
fazer isso, tenho confiança que o Senhor proverá o que preciso e
que o Senhor me capacitará a fazer o que o Senhor quer que eu faça.
No nome de Jesus eu Lhe agradeço.  Amém.

FonteILUMINALMA

14 de setembro de 2011

Sugestão de Leitura: Acontece a cada Primavera

Steve não a procura mais, não presta atenção ao que ela diz. Brenda já não anseia por sua volta ao fim do dia. Um romance sem futuro. Um casamento chegando ao fim. O longo e tenebroso inverno das relações parece inevitável.

Em meio a uma forte tempestade, surge Cody, um andarilho desconhecido. Ele parece destinado a trazer problemas a um casamento já conturbado. Poderia um homem jovem, desgrenhado, de jeans e camiseta ser a solução para um relacionamento enfadonho? Seria a primavera de emoções voltando à vida de Brenda?

O estranho era o motivo que faltava para a vizinhança se alvoroçar. Também o estopim para implodir uma série de crises em casamentos aparentemente perfeitos. Haverá salvação para os moradores de Deepwater Cove?

Leia algumas páginas

While I'm Waiting (John Waller)

1 de setembro de 2011

PONTES CAÍDAS


de Paulo Roberto Barbosa

"O ouvido que escuta a advertência da vida terá a sua morada entre os sábios" (Provérbios 15:31).

Há alguns anos atrás, um certo jornal trazia uma história de um motorista de caminhão. Em uma noite nebulosa ele mergulhou com seu veículo no rio, caindo em um penhasco onde deveria haver uma ponte bem familiar para ele. Milagrosamente salvo, sem ferimentos graves,o caminhoneiro saiu dos destroços e se arrastou pelo desfiladeiro acima, até a estrada. Freneticamente ele agitava seus braços tentando avisar aos outros motoristas sobre a queda da ponte. "A ponte caiu,volte!" A maioria dos motoristas, naquela noite de tráfego escasso, ignorou seus apelos considerando-o um louco, para seu próprio mal.

Isso acontece com frequência nos dias atuais. Aqueles que já
experimentaram as armadilhas deste mundo, conhecem as direções
erradas que nele existem. Mas suas advertências são ignoradas e seus
avisos são ridicularizados. São chamados de arrogantes por esforçar-se em mostrar o caminho certo.

Mas não devemos desanimar nunca. Cabe a nós deixar Deus usar-nos para advertir aos caminhantes desta vida sobre os perigos das pontes
caídas. Mesmo que alguns não nos ouçam, certamente muitos ouvirão... e se salvarão.

Quando o homem teima em seguir seus próprios caminhos, sem se
importar com os avisos de perigo, pode cair logo adiante e nem sempre conseguirá se levantar para recomeçar sua jornada. Deus nos adverte constantemente sobre as "pontes caídas" que nos farão mergulhar nos rios de aflição e angústia. Ele sempre envia alguém para nos alertar e, se não estivermos sensíveis aos Seus sinais, poderemos perder grandes momentos de alegria e regozijo que Ele nos tem preparado.

Você está certo de que o caminho que segue tem uma ponte para
conduzir sua vida até à verdadeira felicidade?

Fonte: texto: ILUMINALMA e imagem: olhares

25 de agosto de 2011

ALEGRIA VERDADEIRA

de Oswald Chambers


Então, regressaram os setenta, possuídos de alegria, dizendo: Senhor,
os próprios demônios se nos submetem pelo teu nome! Mas ele lhes
disse: Eu via Satanás caindo do céu como um relâmpago. Eis aí vos dei autoridade para pisardes serpentes e escorpiões e sobre todo o poder do inimigo, e nada, absolutamente, vos causará dano. Não obstante,alegrai-vos, não porque os espíritos se vos submetem, e sim porque o vosso nome está arrolado nos céus. - Lucas 10:17-20

Jesus Cristo diz, com efeito, 'Não lhe regozije em serviço bem
sucedido, mas regozije-se porque vocês estão bem relacionados
comigo'. A armadilha em serviço Cristão é de se alegrar em serviço
bem sucedido, de se alegrar com o fato que Deus lhe usou.

Você nunca pode medir o que Deus pode fazer através de você se você
for bem relacionado com Jesus Cristo. Mantenha seu relacionamento com ele em forma, daí qualquer circunstância em que você se vê, e com qualquer pessoa que você se encontre, Ele estará derramando rios de água viva por meio de você. E, é da misericórdia dEle que ele não lhe deixa saber."

A necessidade básica do missionário é que ele permaneça fiel ao
chamado de Deus e compreenda que seu único objetivo é fazer
discípulos para Jesus. Existe um anseio de ganhar almas que não tem
origem em Deus, mas no desejo de conquistar pessoas para o nosso
ponto de vista. Citações de Oswald Chambers do seu livro "Tudo Para
Ele" (Belo Horizonte: Editora Betânia, 1988)

Que possamos fazer discípulos de Jesus e não de uma posição, credo ou grupo. Somente Jesus. Que toda honra e glória seja dEle, hoje e para sempre.

Fonte: ILUMINALMA

Devocional - João 3:30


22 de agosto de 2011

NÃO O IMPEÇAM!

de Henry Blackaby

“Mestre”, disse João, “vimos um homem expulsando demônios em teu nome e procuramos impedi-lo, porque ele não era um dos nossos.” Marcos 9:38

À primeira vista, parece nobre a atitude dos disípulos de Jesus, que
guardavam com tanto cuidado a ortodoxia de Seu ministério. Eles
encontraram uma pessoa expulsando demônios em nome de Jesus, mas, que não fazia parte do grupo sob seu controle, e exigiram que o homem parasse. Entretanto, Jesus enxergou a hipocrisia dos discípulos. Eles haviam recebido também o poder de expulsar demônios, porém haviam fracassado na tentativa (Marcos 9:28).

Os discípulos devem ter ficado constrangidos quando falharam
publicamente na sua tentativa de expulsar um demônio de um menino. No entanto, encontraram um homem expulsando demônios que nem andava com Jesus como eles. Eles deviam estar se preocupando com sua própria falta de vitalidade e força espiritual. Deviam ter se arrependido com a repreensão de Jesus sobre falta de fé (Mt 17:20). Mas ao contrário, eles focalizaram nos outros. Ao invés de se arrepender dos seus pecados e lamentar sua impotência espiritual, os discípulos tentaram impedir uma pessoa que estava experimentando sucesso espiritual.

Às vezes, é mais fácil diminuir as vitórias espirituais dos outros do
que confrontar honestamente nossas próprias derrotas. A resposta de
Jesus aos discípulos provavelmente os surpreendeu quando disse “Não o impeçam”(Mc 9:39). Ele lhes assegurou de que “quem não é contra nós está a nosso favor” (v.40).

Você já aprendeu esta lição vital? Você consegue comemorar as
vitórias espirituais dos outros? Você está encorajando aqueles que
servem o Senhor de maneiras diferentes ou que pertencem a grupos
diferentes do seu?

11 de agosto de 2011

Devocional - tempo

  “Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela comida que
permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem vos dará;
pois neste, Deus, o Pai, imprimiu o seu selo”.
    -- João 6:27

PENSAMENTO:
  Você gasta a maior parte do seu tempo trabalhando para o quê? É
um chefe, uma promoção, um sentimento de importância, um estilo de
vida seguro...? Se essa coisa pode ser tirada de você, ou se você
pode ser tirado dela, então não é muito permanente, certo?!
Somente Jesus nos dá algo que dura, e isso vêm da graça de Deus.
Então, como é que você pode investir-se mais completamente no seu
trabalho que “dura para a eternidade”?

ORAÇÃO:
  Esclareça meus pensamentos, querido Deus, para que possa
enxergar com mais nitidez o propósito da minha vida. Ajude-me a
encontrar maneiras de investir “meu” tempo e “meu” dinheiro nas
coisas eternas.  Mas, querido Pai, tenho de confessar que
precisarei da sua ajuda para descobrir o meu significado no meu
relacionamento com o Senhor e não no que eu faço, produzo e
realizo. Por favor, perdoe-me e fortaleça-me no meu compromisso de
buscar o Senhor acima de todas as outras coisas. No nome de Jesus,
seu Filho e meu Salvador, eu oro. Amém.

Fonte: http://www.iluminalma.com/dph/4/0808.html

UM BOM PAI VALORIZA SEUS FILHOS


de Max Lucado

“Jenna, acorde! Hora de ir pra escola!”

Ela vai ouvir essas palavras umas mil vezes na vida dela. Mas hoje foi a primeira vez que ela as ouviu.

Eu me sentei na beira da cama dela por um tempo, antes de dizer essas palavras. Para dizer a verdade, eu não queria pronunciá-las. Eu não queria acordá-la. Uma hesitação esquisita pairou sobre mim enquanto eu me sentava na escuridão da manhã. Eu fiquei em silêncio. Eu sabia que minhas palavras a acordaria para um novo mundo.

Durante quatro rápidos anos ela havia sido nossa, só nossa. E agora
tudo iria mudar.

Nós a colocamos na cama ontem à noite como “nossa menina”-
propriedade exclusiva de Mamãe e Papai. Mamãe e Papai liam para ela, ensinavam-na, escutavam-na. Mas a partir de hoje, outra pessoa faria isso também.

Até hoje eram Mamãe e Papai que enxugavam suas lágrimas e colocavam Band-Aids. Mas a partir de hoje, outra pessoa também o faria. Eu não queria acordá-la.

Até hoje, a vida dela era essencialmente limitada a nós – Mamãe,
Papai e a irmãzinha Andrea. Hoje aquela vida cresceria – novos
amigos, uma professora. O mundo dela estava nessa casa – o quarto
dela, seus brinquedos, seu balanço. Hoje seu mundo expandiria. Ela ia entrar nos corredores sinuosos da Educação – pintura, leitura,
cálculos…sendo transformada.

Eu não queria acordá-la. Não por causa da escola. É uma boa escola.
Não porque eu não queira que ela aprenda. Deus sabe que eu quero que ela cresça, leia, amadureça. Não porque ela não queira ir. Durante esta semana ela só falou da escola!

Não. Eu não queria acordá-la porque eu não queria abrir mão dela.
Mas mesmo assim eu a acordei. Eu interrompi sua infância com a
inevitável proclamação “Jenna, acorde!… Está na hora de ir à escola!”

Eu demorei demais pra me arrumar. Denalyn me viu cabisbaixo, e me
ouviu sussurrando “O sol nasce e o sol de põe”, e disse, “Você não
vai agüentar passar pelo casamento dela.” Ela está certa.

Dirigimos para a escola em dois carros para que de lá eu pudesse ir
direto para o trabalho. Eu pedi a Jenna para ir comigo. Eu achei que
deveria dar a ela um pouco de segurança de pai. Mas na verdade era eu quem estava precisando de segurança.
Continua...

8 de agosto de 2011

Ser chique sempre


A verdade é que ninguém é chique por decreto. E algumas boas coisas da  vida, infelizmente, não estão à venda . Elegância é uma delas. Assim, para ser chique é preciso muito mais que um guarda-roupa ou closet recheado de grifes famosas e importadas. Muito mais que um belo carro Italiano. O que faz uma pessoa chique, não é o que essa pessoa tem, mas a forma como ela se comporta perante a vida. Chique mesmo é quem fala baixo. Quem não procura chamar atenção com suas risadas muito altas, nem por seus imensos decotes e nem precisa contar vantagens, mesmo quando estas são verdadeiras.
Chique é atrair, mesmo sem querer, todos os olhares, porque se tem brilho próprio.
Chique mesmo é ser discreto, não fazer perguntas ou insinuações inoportunas, nem procurar saber o que não é da sua conta.
É evitar se deixar levar pela mania nacional de jogar lixo na rua.
Chique mesmo é dar bom dia ao porteiro do seu prédio e às pessoas que estão no elevador.
É lembrar-se do aniversário dos amigos.
Chique mesmo é não se exceder jamais! Nem na bebida, nem na comida, nem na maneira de se vestir.
Chique mesmo é olhar nos olhos do seu interlocutor. É "desligar o radar", o telefone, quando estiver sentado à mesa do
restaurante, prestar verdadeira atenção a sua companhia.
Chique mesmo é honrar a sua palavra, ser grato a quem o ajuda, correto com quem você se relaciona e honesto nos seus negócios.
Chique mesmo é não fazer a menor questão de aparecer, ainda que você seja o homenageado da noite!
Chique do chique é não se iludir com "trocentas" plásticas do físico... quando se pretende corrigir o caráter: não há plástica que salve grosseria, incompetência, mentira, fraude, agressão, intolerância, ateísmo... falsidade.
Mas, para ser chique, chique mesmo, você tem, antes de tudo, de se lembrar sempre de o quão breve é a vida e de que, ao final e ao cabo, vamos todos terminar da mesma maneira, mortos sem levar nada material deste mundo.
Portanto, não gaste sua energia com o que não tem valor, não desperdice as pessoas interessantes com quem se encontrar e não
aceite, em hipótese alguma, fazer qualquer coisa que não lhe faça bem, que não seja correta.
Lembre-se: o diabo parece chique, mas o inferno não tem qualquer glamour!
Porque, no final das contas, chique mesmo é Crer em Deus!
Investir em conhecimento pode nos tornar sábios... mas, Amor e Fé nos tornam humanos!

Fonte: Texto recebido por email, com autoria creditada a Glória Kalil; imagem Google

3 de agosto de 2011

A pressão do tempo


Meu Deus, como administrar o tempo! Resmungava Valéria, correndo de lá para cá, sem atinar que estava, na verdade, sendo comandada por ele. Pedia mais tempo: que não amanhecesse, para conseguir por o sono em dia; que o dia se alongasse, para dar conta de tudo; que o tempo parasse e lhe desse um tempo de ficar quietinha consigo e pensar o que realmente queria fazer com o seu tempo. Percebeu, então, que o tempo eram dois, o da sua vontade e o da vontade das pessoas e das coisas ao seu redor – este muitas vezes fruto apenas de sua imaginação -, e quase nunca andavam juntos.
Frente a uma pergunta, por exemplo, está o tempo do outro me aguardando. Enquanto ele espera, vou organizando minha fala. Independente da complexidade da questão, ela me obriga a várias operações mentais para reunir o que sei, escolher o que acho mais adequado e elaborar a resposta, contando, nesse processo, com as sensações que toda pergunta desencadeia de imediato, incerteza, insegurança, medo. Cada um lida com tudo isso a seu tempo, enquanto o outro continua esperando no tempo dele. Como não sei qual é, sinto-me pressionado. O resultado, muitas vezes, é de se atropelar o processo e responder qualquer coisa, só para responder, livrar-se. Depois fico me martirizando por não ter dito o que queria, o que sabia.

Alguns afirmam que se guiam pelo tempo interno e, por mais que se esforcem, não conseguem acompanhar as exigências do lado de fora, ou por acreditarem que ainda dá para ficar mais cinco minutos na cama, ou pela dificuldade em priorizar tarefas, ou por permitirem ao outro tomar-lhe um tempo maior do que realmente dispõem. Seja pelo que for, sentem-se em estado permanente de apreensão, pois sabem de antemão que vão se atrasar.

O tempo cronológico, então, parece acelerado demais. Vivemos reclamando de falta de tempo, comparando o tempo do campo com o da cidade, o tempo dos nossos avós com o atual; ou mesmo o tempo de nossa infância e adolescência com o da idade adulta. Mudaram-se as demandas e nosso desejo é de que o tempo pudesse atendê-las.

Coisas e pessoas continuarão chamando, exigindo, cobrando, não há como mudar isso. Mas podemos encontrar, sim, novas formas de tratá-los, deitando meia hora mais cedo para dormir o suficiente; acordando dez minutos antes para tomar café com tranqüilidade e não deixar que o mau humor nos acompanhe o dia todo; dizendo ao outro, quando necessário, “agora não posso”; pedindo um tempo maior para formular determinada resposta e, especialmente, fazendo escolhas; aquelas que nos deixarão a sensação de ter aproveitado bem o tempo.

Os ciclos pessoais também devem ser respeitados. Não sou o mesmo o tempo todo. Tempo de arar, de semear, de cuidar, de contemplar, de colher. Se atropelo uma, comprometo outra etapa. Contando, ainda, que sol e chuva se façam presentes no melhor tempo.

Quanto ao “peso da idade”, é possível contrariar esta máxima. Em vez de acalentarmos as inevitáveis frustrações, ruminarmos mágoas e ressentimentos, ou nos entregarmos a queixas e lamentações, podemos valorizar o que aprendemos em “tanto tempo”, transformando-o em histórias, em álbum de família, em pinturas, em esculturas, em bordados, em tantos mais, e ofertá-los ao outro; ao genro, à nora, ao neto, ao vizinho, ao amigo; quem seja. Livramo-nos do peso para viver a leveza da idade.

Viver o seu tempo” pode tanto significar estar antenado às coisas à sua volta, como atender com carinho ao que lhe restou como precioso. O bom mesmo é promover esse encontro e conquistar liberdade.

Fontes: imagem - google; texto - Angelina Garcia

27 de junho de 2011

O MATADOR DA ALMA


de Danilo Sousa


"Porque o salário do pecado é a morte" (Romanos 6.23)

O pecado faz com uma vida o que a poda faz com uma flor. Um corte no
caule separa a flor da fonte de vida. Inicialmente, a flor é
atrativa, ainda forte e colorida. Mas olhe para ela depois de algum
tempo; as folhas murcharão e as pétalas despencarão.

Não importa o que você faça, a flor não tornará a viver. Cerque-a de
água. Finque o talo no solo. Purifique o solo à sua volta com
fertilizante. Cole-a de novo no caule. Faça o que quiser. A flor está
morta... Uma alma morta não tem vida.

Cortada de Deus, a alma seca e morre. A consequência do pecado não é
um mau dia, nem um mau humor, mas uma alma morta. O sinal de uma alma
morta é claro: lábios envenenados e boca blasfema, pés que se
encaminham para a violência, e olhos que não vêem a Deus. A obra
final do pecado é matar a alma.

Danilo SaSo
“...A carne é fraca! Mas desde quando o pecado é vitamina?...”
Fonte: Iluminalma

16 de junho de 2011

FUGINDO DAS VOZES

de Max Lucado


..O que fazemos com essas vozes?

Enquanto trabalho neste manuscrito, estou usando uma escrivaninha no
quarto do hotel. Estou longe de casa, longe das pessoas que me
conhecem, longe dos membros da família que me amam.

As vozes que encorajam e afirmam estão distantes.

Porém, as vozes que atormentam e seduzem estão muito próximas. Embora
no quarto esteja tudo quieto, se eu escutar, essas vozes são bem
claras. Um folheto no criado-mudo me convida para um passeio no
saguão do hotel, onde posso "fazer novos amigos em um ambiente
relaxante". Uma propaganda no topo da televisão promete que o pedido
de um filme pay-per-view para maiores de idade transformará todas as
minhas "fantasias em realidade". Na lista telefônica, várias colunas
de serviços de acompanhantes oferecem "amor longe de casa". Um volume
atraente, em letras douradas, na gaveta do criado-mudo, acena: O
Livro de Mórmom – O Outro Testamento de Jesus Cristo. Na televisão,
um apresentador de programa de entrevistas discute o tópico do dia:
"Como se dar bem fazendo sexo no escritório".

Vozes, algumas por prazer, outras por poder.

Algumas prometem aceitação, outras prometem carinho. Todas têm algo
para oferecer.

Mesmo as vozes que Jesus ouviu prometiam algo.

"Quando a multidão viu o milagre que Jesus tinha feito, começou a
dizer: `Com certeza este é o Profeta que devia vir ao mundo'. " [João
6:14]

Para um observador distante, essas são as vozes da vitória. Para o
ouvido mal treinado, esses são sons do triunfo. O que poderia ser
melhor? Cinco mil pessoas, mais mulheres e crianças proclamando ser
Cristo "o Profeta". Milhares de vozes avolumando-se em um ruído de
avivamento, em uma aclamação de adoração.

As pessoas tinham tudo que precisavam para uma revolução.

Tinham um inimigo: Herodes. Tinham um mártir: João Batista. Tinham
liderança: os discípulos. Tinham muitos suprimentos: o multiplicador
de pães. E eles tinham um rei: Jesus de Nazaré.

Por que esperar? A hora havia chegado. O reino de Israel seria
restaurado. As pessoas tinham ouvido a voz de Deus.

— Rei Jesus — alguém proclamou. E a multidão repetia, concordando.

Um coro, aclamando poder, contagiava. Não precisavam de cruz, nem de
sacrifício. Um exército de discípulos seguindo as pegadas de Jesus.
Poder para mudar o mundo sem ter de morrer fazendo isso.

A vingança seria doce. Aquele que tomou a cabeça de João Batista está
a apenas alguns metros de distância. Pergunto-me se ele alguma vez já
sentiu uma lâmina fria roçar seu pescoço.

Sim, Jesus ouviu essas vozes. Ele ouviu a sedução. Entretanto, também
ouviu mais alguém.

E quando Jesus o ouviu, ele o buscou:

"Sabendo Jesus que a multidão estava com a idéia de pegá-lo à força
para fazê-lo rei, voltou sozinho para o monte. " [João 6:15]

Jesus preferiu estar sozinho com o verdadeiro Deus a ficar junto à
multidão de pessoas equivocadas.

A lógica não disse a ele para despedir a multidão. A sabedoria
convencional não lhe disse para virar as costas ao exército desejoso.
Não, não era uma voz de fora que Jesus ouviu, era uma voz interior.

A marca de ovelha era o que lhe tornava capaz de ouvir a voz do
Pastor.

"O vigia abre a porta para ele e as ovelhas ouvem a sua voz. Ele
chama as suas ovelhas pelo nome e as leva para fora. " [João 10:3]

A marca de um discípulo é a sua capacidade de ouvir a voz do Mestre.

"Escutem, eu estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e
abrir a porta, entrarei em sua casa e comerei com ele e ele comerá
comigo. " [Apoc 3:20]

O mundo soca a mão na sua porta; Jesus apenas bate. As vozes gritam
por sua adesão; Jesus mansamente pede. O mundo promete prazer rápido;
Jesus promete um jantar tranqüilo... com Deus. "Entrarei em sua casa
e comerei com ele e ele comerá comigo".

Qual voz você escuta?

Deixe-me dizer algo importante. Não há um momento em que Jesus não
esteja falando. Nenhum sequer. Não existe um lugar em que Jesus não
esteja presente, nenhum sequer. Nunca haverá um quarto muito
escuro... um saguão muito envolvente... um escritório muito
sofisticado... que o terno Amigo, sempre marcando presença e que
sempre nos acompanha, implacavelmente não esteja lá, batendo à porta
dos nossos corações, com toda gentileza, esperando ser convidado a
entrar.

Poucos ouvem essa voz. Um número ainda menor abre a porta.

Todavia, não interprete nossa insensibilidade como a ausência dele.
Cercada de promessas evanescentes de prazer, está a promessa eterna
de sua presença.

"E eu estarei com vocês todos os dias, até o fim dos tempos. " [Mt
28:20]"Eu nunca o deixarei; eu jamais o abandonarei." [Heb 13:5]

Não há qualquer outro coro que soe tão alto a ponto de não permitir
que a voz de Deus seja ouvida... se decidirmos ouvi-la. É o que
acontece nesse hotel.

Demorei alguns minutos para encontrá-la, mas encontrei. Não estava
tão visível como o folheto do saguão ou o aviso do filme. Mas estava
lá. Não era tão ornamentada como a bíblia dos Mórmons ou tão atraente
como a propaganda de acompanhantes. Mas eu desistiria de todas essas
mentiras de uma vez por todas, para ficar com a paz que encontrei
nesse tesouro.

Uma Bíblia. Uma simples Bíblia deixada ali pelos Gideões. Gastei
alguns minutos para encontrá-la, mas finalmente encontrei. E quando a
vi, abri em uma das minhas passagens favoritas:

"Não se admirem disso, porque está chegando a hora em que todos os
mortos ouvirão a sua voz e sairão dos túmulos. Aqueles que fizeram o
bem, vão ressuscitar para a vida eterna. Mas aqueles que fizeram o
mal, vão ressuscitar para ser condenados. " [João 5:28-29]

Interessante. Um dia virá em que todos ouvirão a voz dele. Haverá um
dia em que todas as outras vozes serão silenciadas, e somente a voz
dele será ouvida.

Alguns escutarão sua voz desde o primeiro instante. Não é que ele
nunca tenha se pronunciado, mas é que eles nunca a ouviram. Para
esses, a voz de Deus será a voz de um estranho. Eles a ouvirão uma
vez e nunca mais. Vão passar a eternidade fugindo das vozes que
seguiram na terra.

Mas os outros serão chamados de seus túmulos por uma voz familiar,
pois são ovelhas que conhecem seu pastor, são servos que abriram a
porta quando Jesus bateu.

Nesse dia, a porta se abrirá novamente. Somente dessa vez. E não será
Jesus que entrará em nossa casa; seremos nós que entraremos na casa
dele.

Fonte: http://www.iluminalma.com/vec/1106/16-fugindo_das_vozes.html

10 de maio de 2011

O jardineiro Fiel

de Germana Downing

Tenho que admitir, jardinagem não é meu dom. Possuo uma pequena jardineira onde moro, na qual ao longo dos anos plantei diferentes tipos de plantas. No início fica até bonito. Mas acaba não crescendo muito e eventualmente morre. Já pensei que era culpa da natureza, da
muda que plantei, das pragas que o vento trouxe. Mas, honestamente,
não cuido o bastante das plantas para que elas cresçam bonitas e saudáveis. Para você ter uma idéia, teve uma época que eu estava tão frustrada com o insucesso do meu pequeno jardim que decidi colocar um girassol, já plantado num vasinho que comprei. Ele era lindo e grande. Mas cá entre nós, era artificial! Pensei “Como a jardineira está bonita!”. E até soltei uma piada para mim mesma “Não é possível
que você morra!” Acredite se quiser, três meses depois tive que jogá-lo fora, pois havia “morrido”mesmo. Perdera todas as folhas!!

Felizmente o jardineiro que cuida de mim é mais fiel! Em 1 Pedro1:23-25 lemos: “Vocês foram regenerados não de semente perecível, mas imperecível, por meio da palavra de Deus, viva e permanente. Pois toda a humanidade é como a relva, e toda a sua glória, como a flor da relva; a relva murcha e cai a sua flor, mas a palavra do Senhor permanece para sempre. Essa é a palavra que lhes
foi anunciada.”

Nossa vida aqui na terra pode ser comparada à relva, que dura pouco, e nossa glória, ou seja, nossos melhores anos, à flor da planta, de duração ainda mais curta. Mas a palavra que foi plantada em nós é
viva e pernamente.

Deus, na Sua infinita graça e poder, nos resgata do pecado, que cega e mata, e nos adota como Seus filhos. Nesta nova vida, que é eterna, vamos nos tornando novas criaturas. Ele nos regenerou (recriou) através de uma semente imperecível, que não morre, mas que agora faz parte da minha essência – a palavra de Deus. E esta semente gera em mim uma vida que pode ser comparada a uma planta, que cresce e dá flores que exalam aroma, e frutos que alimentam outros.

Eu e você somos como plantas no jardim de Deus. Ele cuida, mas nós precisamos cooperar, nos alimentando com a palavra dele, e meditando nela, a fim de que ela se torne a seiva que vai circular na planta inteira e provocar mudanças. Precisamos passar tempo com Ele em oração e adoração, individualmente e em conjunto, recebendo a luz, não do sol, mas da sua glória, para que ela também faça parte de nós.

Aquela planta artificial no meu jardim que "morreu"? Não foi vítima da minha negligência, mas do pássaro de estimação da nossa família, que por vezes passeava na jardineira. Certo dia o flagrei arrancando as folhas da planta! Por mais que nós tenhamos sofrido com os ataques do nosso inimigo, Deus, na sua infinita misericórdia, não nos descarta. Mas, enquanto estivermos vivos, está sempre pronto para nos podar (João 15:2) e reanimar para que possamos voltar a crescer e
produzir fruto.

Pelo fato desta semente que Deus coloca em nós ser imperecível, sobrevive a adversidades, tais como doenças, decepções, desemprego,
tragédias, e até à própria morte. Certo dia, quando cuidava do meu sofrido “jardim”, verifiquei que uma plantinha estava “ressuscitando”. Ela morrera devido a negligência e adversidades. Na época, eu cortei o que estava seco, mas voltei a aguar o solo no qual estivera, embora não visse mais planta nenhuma. E para surpresa minha, ramos voltaram a brotar e a planta voltou a crescer!

Deve ser por isso que às vezes vemos casos de cristãos que se desviam, se afastam do convívio com a igreja, mas que retornam tempos depois e recuperam a vida em Cristo! Será que é porque a semente que foi plantada neles ficou em estado “latente”, devido a falta de cuidados (espirituais) e ataques de “pragas” (pecado e/ou perseguição)? No entanto, por ser permanente, e devido a melhores condições que às vezes só Deus conhece, aquela semente voltou a brotar e a ter vida, graças a nosso bondoso Deus.

Nós temos a responsabilidade de cooperar com Aquele que nos plantou aqui, mas ao mesmo tempo não devemos ficar ansiosos diante dos desafios que enfrentamos, porque a vida e o crescimento vêm dele, pois ele é o verdadeiro Jardineiro Fiel. A propósito, como vai a sua jardineira?

Fonte
: www.iluminalma.com/vec/1105/10-jardineiro.html

18 de abril de 2011

15 de abril de 2011

Devocional: o tempo

VERSÍCULO:
  “O homem é semelhante a um sopro; os seus dias são como a sombra que passa”.
    -- Salmos 144:4

PENSAMENTO:
  O tempo é tão precioso – tempo com nossas famílias, nossos filhos, nossos pais, nossos amigo, e também com nossos irmãos e irmãs em Cristo. Como você investe seu tempo? Aonde você o investe? Sabe, o tempo é realmente mais valioso do que o dinheiro que investimos. Uma vez gasto, não pode ser reivindicado. Então,
ao começar cada dia, peça para Deus que lhe ajude a ser capaz de “discernir o tempo”, de vê-lo pelo que é e usá-lo da melhor maneira. O tempo passa rápido e, como a sombra do anoitecer, não demora a ser absorvido na escuridão da noite.

ORAÇÃO:
  Eterno Deus, por favor, dê-me a sabedoria de usar o tempo que tenho hoje para fazer o melhor, o correto, o bem e o produtivo. Quero investir meu tempo naquilo que dura. Por favor, ajude-me a usar meu tempo para influenciar e abençoar todos aqueles com quem tenho contato para que possam se aproximar mais do Senhor. No nome de Jesus eu oro. Amém.

Fonte:http://www.iluminalma.com/dph/4/0413.html

1 de abril de 2011

1 de ABRIL


Quero lançar aqui um movimento contra o "inocente" Dia da Mentira. Há quem diga que uma mentirinha de vez em quando não mata ninguém, contudo nós como servos de Deus temos o desafio de a cada dia se afastar desse mal. Desde quando entreguei minha vida ao Senhor, bani esse hábito do meu cotidiano. Luto todos os dias para ser íntegra. No entanto, quantas mentiras deixamos entrar em nossa vida? Acreditamos, por exemplo, que as coisas podem ser do nosso jeito, a nossa vontade. As vezes fazemos "juras de amor" ao Senhor, nos compromentendo a entregar nossas vidas a Ele ou, ainda , oramos "Pai seja feita Sua Vontade". Será mesmo que estamos cumprindo tudo isso? Então, quero neste dia que pensemos na única Verdade: Só Jesus é Aquele capaz de nos ajudar a sermos quem Deus quer que sejamos e toda honra e glória deve ser dada a Ele.

Desafio: quando formos fazer algo, pensemos: Jesus agiria assim?

Deus nos abençoe e continue com Sua misericórdia sem fim sobre nós, Amém.
Fonte: texto da autora desse Blog.

Qual é a mentira de hoje?


“Porque a loucura de Deus é mais sábia que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte que os homens” 1 Coríntios 1:25

PENSAMENTO:
  A “tolice” mais marcante de Deus é sua disponibilidade para usar a cruz para levar-nos a ele. À primeira vista, a cruz é uma ferramenta horrível e hedionda. Na nossa sabedoria humana, nunca poderíamos imaginar usar um homem crucificado como um criminoso para capturar os corações do mundo. Mas Deus consegue fazer isto. A cruz transcende fronteiras culturais, supera barreiras idiomáticas e vence diferenças raciais. A cruz demonstra a fraqueza e tolice de Deus, através da qual Ele conquista a morte e leva nossos corações a Ele.

ORAÇÃO:
Neste dia, Pai, quando muitas pessoas jogam, fazem truques e se fazem de tolas, estou lembrado da sua “tolice” e “fraqueza”no Calvário com Jesus. Palavras não conseguem expressar quão poderosamente o Senhor tem me tocado com seu amor. Estou cheio da segurança da sua graça. Obrigado! Estou maravilhado com Seu grande amor por mim. No nome de Jesus eu oro. Amém.

Fonte: http://www.iluminalma.com/dph/4/0401.html

Origem do Dia da Mentira


Há datas comemorativas pelas mais diversas razões. Algumas prestam homenagem a heróis, outros comemoram eventos religiosos, mas o primeiro de abril sobressai como a única data para comemorar a mentira. O dia da mentira, ou 1º de abril, é uma antiga comemoração e tem uma história curiosa. Em qual outro dia podemos pregar peças e enganar nossos queridos amigos e conhecidos?
Existem dúvidas sobre quando essa tradição bizarra começou, mas a explicação mais aceita liga o primeiro de abril à França do século XVI. Até 1564, o calendário em vigor era o calendário Juliano, que considerava o início do ano novo próximo de abril. De acordo com o livro "The Oxford Companion to the Year", o rei Carlos IX, declarou um dia que a França começaria a usar o calendário Gregoriano, onde o ano novo iniciaria em primeiro de janeiro.
Nem todos aceitaram essa mudança de datas, ao mesmo tempo, alguns acreditavam que as datas não deveriam ser alteradas, e foi esse pessoal que serviu de alvo às brincadeiras de abril, pois foram considerados tolos. As pessoas enviavam presentes e os convidavam para as falsas festas. Os cidadãos das zonas rurais da França também eram vítimas dessas piadas. Nesta época, as notícias viajavam lentamente e eles podem ter ficado sem saber sobre a troca de datas durante meses ou anos. E ainda tiveram que suportar as piadas por celebrarem o ano novo no dia errado.
Atualmente, na França, as pessoas que "caem" no primeiro de abril são chamadas de 'Poisson d'Avril', literalmente significando "peixe de abril". Uma piada comum é a de pregar um peixe de papelão nas costas da pessoa. A ligação entre os peixes e o dia da mentira não está clara. Alguns acreditam que o peixe representa Jesus Cristo, freqüentemente representado por um peixe nos primeiros tempos da era cristã. Outros dizem que o peixe é relacionado com o signo de Peixes no zodíaco, que é representado por um peixe e que cai perto de abril. Mas é interessante salientar que Napoleão ganhou o apelido de Poisson d'Avril quando casou com Maria Luísa da Áustria, em 1º de abril de 1810.
Provavelmente, não se trata de uma coincidência que o dia da mentira seja comemorado ao mesmo tempo do que dois outros dias semelhantes. Na Roma antiga o festival de Hilária foi uma iniciativa para celebrar a ressurreição do deus Átis. A palavra hilária, provavelmente, é derivada da palavra hilaridade e hilariante, ambas significando alegria ruidosa. Hoje em dia, Hilária é também conhecida como o Dia da risada romana. Na Índia, o festival Holi (site em inglês) comemora a chegada da primavera. Como parte do festival, as pessoas fazem brincadeiras e se lambuzam mutuamente com cores.
Não há uma conexão clara entre a observância moderna do dia da mentira e essas duas antigas comemorações, o que leva muitos historiadores a aceitarem a explicação francesa de como surgiu o dia da mentira.
De qualquer, o dia da mentira pegou. E se popularizou, chegando à mídia.

Fonte: http://pessoas.hsw.uol.com.br/questao604.htm

31 de março de 2011

Vida em Cristo: devendar o futuro


de Rubel Shelly


Nós seres humanos não somos peritos em predizer o futuro. Inúmeros palpites errados e pensamentos falhos acumulam como lixo ao longo da Estrada da história da humanidade. Quanto mais a gente fala com certeza, maior a probabilidade de passarmos vergonha. “Tudo que pode ser inventado já foi inventado”, declarou Charles H. Duell, o comissário norte-americano de patentes, em 1899.

Horace Rackham foi aconselhado por um presidente da Caixa Econômica de Michigan a não investir na Ford Indústria de Motores, em 1903. “O cavalo está aqui para ficar”, ele predisse, “mas o automóvel é apenas
uma novidade – uma moda passageira.” Felizmente para Rackham, o advogado de Henry Ford, ele ignorou a falta de visão do banqueiro e comprou ações no valor de $5,000. Vários anos depois, ele as vendeu
por $12.5 milhões de dólares.

Ao rejeitar uma banda aspirante em 1962, o representante da Decca Records fez esta destemida profecia sobre o futuro dela na música, “Não gostamos do som deles. Grupos com guitarras estão em extinção.”
Assim, a gravadora deixou de gravar os Beatles. “Não há razão para que qualquer pessoa tenha um computador em casa”, disse o presidente e fundador da Digital Equipment Corporation em 1977.

Clifford Roberts, fundador do prestigiado Torneio de Mestres do Golf (Masters Tournament), uma vez disse, “Enquanto eu viver, jogadores de golf serão broncos, e os caddies serão negros.” É claro que ele não
possuía a presciência para antever nem o Movimento dos Direitos Humanos, nem o domínio de Tiger Woods no golf profissional.

Coisas como estas estão além da nossa capacidade de previsão.

Sempre é bom ter humildade quando tentamos prever o que vem no futuro. Mas, não há certezas sobre o amanhã? Não há nada no que ancorar nossa esperança? Eis duas promessas para manter em mente
nesses tempos estressantes.

.. nem qualquer outra coisa na criação será capaz de nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor. (Romanos 8:39 NVI)

Não sobreveio a vocês tentação que não fosse comum aos homens. E Deus é fiel; ele não permitirá que vocês sejam tentados além do que podem suportar. Mas, quando forem tentados, ele mesmo lhes providenciará um escape, para que o possam suportar. (1 Coríntios 10:13 NVI)

Mercados e o futuro da economia global, música e outros aspectos da cultura, descobertas na ciência e na Medicina – todos estão além da nossa habilidade de previsão. Mas as certezas espirituais baseadas nas promessas seguras de Deus tiram a incerteza de hoje e nos ajudam a seguir adiante com confiança.

Se você quer ter alguma confiança em relação ao futuro, focalize sua atenção na única Pessoa que realmente sabe algo sobre ele.

Fonte: ILUMINALMA

28 de março de 2011

Devocional: Para onde estamos olhando?


de Paulo Roberto Barbosa


"Olhando para Jesus, autor e consumador da fé" Hebreus 12:2

"A derrota vem de olhar para trás. A distração vem de olhar em volta.
O desânimo vem de olhar para baixo. A libertação vem de olhar para
cima."

Para onde estamos olhando? Qual o foco de nossa vida? O que queremos
ver e o que esperamos encontrar na direção para onde estamos olhando?

Há pessoas que olham constantemente para trás; para justificar suas
queixas, para murmurar dos tropeços, para lamentar as derrotas. Há
pessoas que nunca percebem o quanto são abençoadas, o quanto Deus
lhes ama, o quanto perdem oportunidades de realizar os sonhos. Estão
sempre distraídas espiritualmente e só conseguem enxergar os
problemas que enfrentam. Há pessoas que desistem facilmente, não
lutam e nem se esforçam, não perseveram quando sofrem o primeiro
revés. Estão, em todo tempo, olhando para trás, em volta ou para
baixo.

Quando olhamos para o lugar errado, vemos o que não queremos ver ou o
que não devíamos ver. Erramos a direção do olhar e, ao mesmo tempo,
erramos o caminho a seguir. E se erramos o caminho, perdemos a paz,
as bênçãos e a felicidade.

Eu prefiro olhar para cima, para o Senhor Jesus Cristo, para
o autor de minha fé. Ele me impede de estar distraído em relação à
minha vida espiritual, de desanimar diante dos obstáculos do caminho,
de sentir-me derrotado quando a vitória demora a chegar. Sim, é para
Ele que eu olho desde que acordo até a hora em que volto a dormir. É
para Ele que eu olho quando preciso tomar alguma decisão. É para Ele
que eu olho sempre, para agradecer, por eu ser tão feliz.

Você também compreende que, para ter uma vida vitoriosa, precisa
olhar para cima?

Fonte: Iluminalma

15 de março de 2011

CUIDADO COM O JEITINHO

Imagem ilustrativa de resoluções mágicas

de Rubel Shelly


Não só isso, mas também nos gloriamos nas tribulações, porque sabemos
que a tribulação produz perseverança; a perseverança, um caráter
aprovado; e o caráter aprovado, esperança. Romanos 5:3-4

Os planos bem elaborados levam à fartura; mas o apressado sempre
acaba na miséria. Provérbio 21:5

Embora intelectualmente saibamos melhor, há algo no ser humano que
continua nos fazendo vítimas do velho “jeitinho”. Sempre apareçam
novos trambiquieros empresariais para ludibriar e roubar os incautos.
E quando for atrás deles encontra-se apenas uma casa abandonada no
endereço que deixaram.

A obsessão atual com peso e aparencia nos fazem especialmente
suscetíveis às maravilhas de produtos que prometem saúde sem esforço
e perda de peso sem suor. Uma empresa ganhou muito dinheiro vendendo
seus tênis “anti-celulite”. Outro promove estímulo muscular elétrico
e água “especial” para perder peso. As pessoas adoram pensar que
acharam um modo fácil de chegar às sua metas.

Os médicos e cientistas confirmam que uma dieta saudável e exercícios
constantes são a melhor maneira de manter o peso ideal. Um requer
autodisciplina, e o outro – esforço. Quem quer pagar esses preços
quando há uma alternativa que dispensa a disciplina e o suor? Quem
não é tentado pelo famoso jeitinho?

Em outros contextos, é a pessoa que se engana ao pensar que ela pode
continuar bebendo depois de ser flagrado dirigindo alcoolizado ou
perder o emprego por causa da bebida. É aquela que se convence que um
“flerte inocente” no escritório não significa nada. São os pais que
recusam levar à sério as infrações legais de um filho. É a família
tentando conseguir tudo que quer com cartões de crédito em vez de
poupar para comprar. É aquele que não admite sua responsabilidade e
recusa se desculpar por ter traído uma confiança.

Quer saber por que aconselhamento não funciona para muitos casamentos
em conflito? É porque o casal descobre áreas do relacionamento que
requerem um esforço concentrado durante um bom tempo. Mas as pessoas
imaturas e egoístas preferem o jeitinho.

Quer saber por que tantas empresas vão à ruína? Levaria esforço
demais por um período prolongado para corrigir os problemas,
substituir as pessoas incompetentes, e penetrar mercados novos.
Faltando o jeitinho, vem a falência.

Quer saber por que grandes igrejas morrem? Alguém é persuadido que
espiritualidade é um programa novo ou um esquema fácil, no lugar do
longo processo de produzir fruto pela presença suave do Espírito
Santo. Aí, os membros pulam de congregação em congregação.  Um
das virtudes que recebe muito pouca atenção estes dias é
perseverança. Não é teimosia. Não é ser “cabeça dura” e inflexível. É
a perseverança ao longo do tempo na busca de uma meta nobre que vale
a pena.

É interessante para mim que a Bíblia coloca a perseverança como o
passo necessário entre a tribulação e o caráter (Romanos 5:3-4). Não
há nenhum atalho entre um e o outro. Para as coisas que realmente
importam, não existe jeitinho. [traduzido e adaptado por Dennis
Downing]

10 de março de 2011

DEVOCIONAL - A MORTE DO PAPAGAIO

de Danilo Sousa


Uma mulher comprou um papagaio, levou-o para casa, e depois o
devolveu à loja de animais no dia seguinte.
- “Este pássaro não fala”, disse ela ao proprietário.
- “Ele tem um espelho?” perguntou o dono da loja. “Papagaios adoram espelhos. Eles se vêem e começam a conversar”.
Então a mulher comprou o espelho. No dia seguinte, ela voltou. O pássaro ainda não estava falando.
- “Que tal uma escada? Papagaios adoram subir e descer escadas. Um
papagaio feliz tem mais probabilidade de falar”.
A mulher comprou uma escada. Mas é lógico que, no dia seguinte, lá
estava ela de volta; o pássaro continuava mudo.
- “O seu papagaio tem um balanço? Se não tem, o problema está aí. Com
um balanço, ele vai relaxar e desatar a falar sem parar”.
Embora relutante, a mulher comprou um balanço e saiu.
Quando ela entrou na loja no dia seguinte, sua expressão havia
mudado. “O papagaio morreu”, disse ela.
O dono da loja ficou chocado. “Sinto muito. Diga-me, ele chegou a
falar alguma coisa?” perguntou ele.
- “Sim, logo antes de morrer”, respondeu a mulher. “Ele disse: ‘Eles
não vendem nenhuma comida nessa loja de animais?’"
A moral desta história é: Você pode desperdiçar sua vida com
espelhos, concentrando-se na sua aparência; com escadas,
concentrando-se no sucesso na carreira; com balanços, concentrando-se
em diversão – e morrer de fome espiritualmente.
Se não se alimentar da Palavra de Deus todos os dias, você
morrerá espiritualmente! Jeremias disse:
“Achando as Tuas palavras, logo as comi, e a Tua palavra foi para mim
o gozo e a alegria do meu coração”.
"...Você é o que você come. Alimente-se da Palavra de Deus..."


Fonte: ILUMINALMA

3 de março de 2011

A MULTA



  de Autor Desconhecido


Tiago olhou bem para o velocímetro antes de tirar o pé do pedal: 65
numa zona de 40. A quarta vez este ano. Como é que uma pessoa podia
ser flagrada tantas vezes?

Quando chegou a quase parar, ele encostou o carro, mas deixou uma
parte em cima da pista. Deixe o guarda se preocupar com o perigo do
trânsito que passava. Talvez outro carro daria um susto nele. O
policial estava descendo do carro, caneta e bloco na mão.

Roberto? Roberto da igreja? Tiago baixou mais ainda no assento. Isso
era pior do que a multa que ele receberia. Flagrado por um irmão
policial da mesma igreja!

Descendo do seu carro, Tiago viu um homem que via todo domingo, mas,
nunca o havia visto de farda.

- “Oi, Roberto. Imagine encontrando você assim.”
- “Oi, Tiago”. Nada de sorriso.
- “Parece que você me flagrou correndo um pouqinho para casa.
Querendo ver a mulher e os filhos.”
- “Pois é.” Roberto parecia meio incerto. Isso era um bom sinal.
- “Tenho trabalhado muito ultimamente. Parece que eu falhei só esta
vez.” Tiago empurrou uma pedrinha com o sapato. “A esposa falou de um
rosbife e batatas hoje à noite. Sabe como é, né?”
- “Eu sei como é. Sei também que você tem uma reputação no nosso
distrito.” Essa não! A conversa não estava indo nada bem. Hora de
mudar de tática.
- “Quanto foi que você mediu”?
- “Setenta. Pode voltar para o carro, por favor”?
- “Pere aí, Roberto. Eu olhei assim que eu lhe vi. Eu estava mal
chegando a 65.” A mentira parecia sair com mais facilidade a cada
multa.
- “Por favor, Tiago. Volte para o carro.”

Chateado, Tiago voltou a entrar no carro, bateu a porta com força e
olhou para o painel. Ele não tinha pressa nenhuma em baixar o vidro.
Minutos passaram. Roberto estava escrevendo.

Por que ele não pediu a carteira de motorista? Seja qual for a razão,
nem tão cedo Tiago sentaria perto desse policial na igreja.

Um toque no vidro e ele virou a cabeça. Lá estava Roberto, um papel
dobrado na mão. Tiago baixou o vidro cinco centimetros. Só o
suficiente para puxar o papel.

- “’Brigado”. Tiago não consegiu esconder a ironia na voz.

Roberto voltou à viatura sem dizer uma palavra. Tiago olhou para ele
no retrovisor. Ele abriu a folha de papel. Quanto será que isso ia
custar? Mas, o que era isso? Alguma piada? Não era uma multa. Apenas
algumas palavras escritas à mão. Tiago começou a ler.

Prezado Tiago, Era uma vez, eu tinha uma filha. Ela tinha seis anos
quando foi atropelada por um carro. Você adivinhou - um cara correndo
em alta velocidade. Uma multa e três meses na cadeia, e ele estava
livre. Livre para abraçar suas filhas, todas as três. Eu só tinha
uma, e vou ter que esperar até os céus para abraçá-la outra vez. Já
tentei perdoá-lo milhares de vezes. Milhares de vezes pensei que
havia conseguido. Talvez consegui. Mas, preciso fazer de novo. Até
mesmo agora. Ore por mim. E tenha cuidado Tiago. Só tenho agora meu
filho. Roberto.

Tiago virou em tempo para ver a viatura voltar à pista e seguir
adiante. Tiago ficou olhando até que saiu de vista. Ele só voltou à
pista mais de quinze minutos depois e seguiu para casa, bem devagar,
orando por perdão o caminho todo. E quando chegou, deu um abraço que
surprendeu a esposa e os filhos.

A vida é preciosa. Trate-a com cuidado. Se você dirigir, dirija com
cuidado. E lembre-se que os carros não são a única coisa que são
chamadas de volta pelo fabricante.

Se você conhece alguém que estará dirigindo neste feriadão, envie
esta reflexão para eles. Pode fazer uma diferença. Pode até salvar
uma vida. Deus lhe abençoe.

Fonte: ILUMINALMA

24 de fevereiro de 2011

TRêS PALAVRAS COM A LETRA 'R'

  de Paulo Roberto Barbosa

"O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará." Salmos 23:1

Três palavras com a letra "r" que são muito importantes para nossa
vida espiritual: REPOUSAR, REVIGORAR e RENUNCIAR. A primeira nos
convida a descansar nos braços do Senhor; a segunda nos estimula a
buscar forças no Senhor para vencer todos os obstáculos do caminho; a
terceira nos ensina que ao deixar de lado os nossos próprios
interesses, desfrutaremos de tudo de bom que o nosso Deus deseja nos
dar.

É maravilhoso quando repousamos à sombra do Onipotente. Nos braços do
Senhor encontramos a paz verdadeira, a serenidade de Sua presença, a
tranquilidade no meio de tormentas. Por que vivermos em angústia e
tribulação se Deus, nosso amado Pastor, nos conduz mansamente a águas
tranquilas? Por que correr de um lado para outro, inquietos, se
sabemos que Jesus nos prometeu pastos verdejantes para viver?

Igualmente nos conforta o coração saber que, quando nos sentimos
fracos e desanimados, o Senhor restaura as nossas forças, revigora a
nossa fé, faz renascer a nossa esperança. Ele nos reveste de energia
e nos impulsiona a crer que a vitória logo será alcançada.

Se aprendemos a abrir mão daquilo que pensamos ter e daquilo que
julgamos ser capazes, entregando a direção de nossos passos ao Deus
Todo Poderoso, os erros diminuirão, os fracassos desaparecerão e a
tristeza cederá lugar à plenitude de felicidade.

Apenas três palavras e uma vida espiritual abençoada e
abundante diante de Deus. Três palavras que nos ajudam a estar diante
do altar do Senhor e a obedecer à Sua vontade. Três palavras que
iluminarão a nossa vida e mostrarão o que seja um verdadeiro
Cristianismo.

Você gostaria de colocar em prática essas três palavras? Comece agora
mesmo e a sua vida será muito mais abençoada.

Fonte: Iluminalma

10 de fevereiro de 2011

Um verdadeiro presente

O Presente Que Não Podia Esperar - Max Lucado



Terry Schaefer queria comprar um presente de Natal muito especial para seu marido Davi. Mas, ela enfrentava dois problemas.

Problema # 1 era o custo.
Problema # 2 era encontrar o que ela queria.

Sua pequena cidade de Moline tinha poucas lojas e ela procurou em todo canto.
Quando ela finalmente encontrou o que queria para seu marido, ela quase desistiu por causa do preço.

Mas, porque ela não desistiu, a vida do seu marido foi salva.

Ela teria desistida, se não fosse pela ajuda do dono da loja. Ela não tinha o dinheiro suficiente. Era um presente muito caro. O salário de seu marido como policial, apesar de adequado, deixava pouco dinheiro sobrando no final do mês.

Ela perguntou se o dono da loja não poderia guardar o presente dela e deixar ela fazer os pagamentos até Natal. Ele disse que não.

Mas, aí ele disse “Por outro lado, não posso deixar você sair daqui sem seu presente.” Ele deu o presente a ela e apenas pediu que ela o pagasse quando pudesse. Ela ficou tão animada, que não conseguiu guardar o presente. Ela deu logo a seu marido Davi, apesar de que ainda era Outubro.

Aquela foi a segunda decisão que ela nunca se arrependeu de tomar. Apenas uma semana depois, às 7:00 da manhã, ela escutou alguém batendo à porta da sua casa. O parceiro de seu marido, o outro policial que andava sempre com ele, estava na porta - sozinho.

O rosto dele estava cansado e abatido. Ele entrou e sentou no sofá. Daí ele começou a explicar para Terry como, na noite antes, o marido dela, Davi, foi baleado com um tiro de um revolver calibre .45 - a queima roupa.

Terry suspirou, não de medo, mas de alívio. Alívio por ter procurado aquele presente que ela tanto queria para seu marido. Alívio pelo dono da loja ter insistido que ela levasse. Alívio por seu marido estar usando seu presente de Natal naquela noite.

Como resultado, seu marido Davi estava no hospital e não no necrotério. O corpo dele estava ferido, não com uma bala cravado no peito, mas apenas com uma contusão. Porque ele estava vestindo o colete a prova de balas, o presente de Natal, que sua querida esposa não podia esperar para dar.

Todos nós recebemos algo semelhante. De certa forma, todos nós recebemos um presente de Natal semelhante àquele que Davi Schaefer recebeu.

- É algo que pode lhe proteger.
- É algo que, com certeza, salvará sua vida, se você aceitar e usar.
- É um presente destinado especialmente a você.
- É um presente adquirido por um grande esforço e a um custo muito alto.
Mas, afinal de contas, cabe a você receber o presente.
Cabe a você aceitá-lo.
Cabe a você usá-lo.

Tudo isto, só você pode fazer.

Todo o resto, Deus já fez.

- Adaptado e traduzido de uma pregação de Max Lucado.
Fonte: ILUMINALMA

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails